Argentinos soberanos, artilheiro espanhol e uruguaio decidindo: estranhações sem graça do Cruzeiro em 100 anos

0
12
Em 2002, Cruzeiro conquista a Copa Sul Minas na despedida de Sorín
Em 2002, Cruzeiro conquista a Copa Sul Minas na despedida de Sorín

A história de Cruzeiro, clube que foi criado por imigrantes italianos no Brasil, não poderia contar apenas com os brasileiros nesta área. Ao longo de 100 anos de existência, o clube conta com 60 estrangeiros, de 14 países diferentes. Alguns deles tagged seus nomes na história e estão entre ídolos do Crueirense.

+ Notícias do Cruzeiro

Os argentinos mantêm uma lista. Quinze “hermen” vestiam uma camiseta com estrelas, algumas delas têm muito sucesso. Um deles, inclusive, no topo, a lista dos que mais vezes vestiam uma camiseta com estrelas: Ariel Cabral, com 188 jogos, junto com o Arrascaet do Uruguai. Ariel viveu uma relação de amor e ódio com um rompimento e está em um empréstimo para Goiás.

Aberturando

O primeiro jogador da Argentina a defender o Cruzeiro foi o zagueiro Roberto Perfumo, que esteve no clube entre 1971 e 1974. Ele chegou ao clube com o peso de ser o capitão da seleção argentina e hoje, é considerado um dos maiores zagueiros de uma história cruel. Jogou por 141 jogos e ganhou três edições de Mineiro (1972, 1973 e 1974).

2 dos 6 Roberto Perfumo defendeu Cruzeiro no 1970s-Photo: Propagation / Web site do Cruzeiro

Roberto Perfumo defendeu Cruzeiro no 1970s-Photo: spread / lugar em Cruzeiro

Argentina de 2000

Além de Ariel Cabral, que morou em cima e para baixo em cinco anos de clube, Cruzeiro tem outros importantes argentinos nos últimos 20 anos. Lucas Romero e Ramón Ábila são dois sempre sobre a memória da torcida da torcida. Volant, símbolo da raça, tem 152 jogos, ganhou 2017 e 2018 edições na Copa do Brasil, e é o terceiro um estrangeiro com mais jogos na história da franquia. O centro-avante também caiu na graça do suporteiro pela luta e é claro pelos gols marcados. Foi fundamental para ajudar a equipe a escapar do rebaixamento em 2016 Brasileiro.

A primeira abrasão argentina no ano de 2000 foi Juan Pablo Sorin. Outro símbolo da raça. Veio para o Cruzeiro em 2000, comprado do River Plate e foi campeão da Copa do Brasil deste ano, exceto que venceu o Mineiro e 2001 de lançamento da Copa Sul-Minas, marcando o gol do nome. Clube deixou o clube em 2002, passou por Lazio, Barcelona e PSG. Voltou em 2004, permaneceu seis meses e foi para Villareal. Em 2008, voltou para a Toca, foi vice-campeão na Libertadores de 2009 e acabou com a carreira. Graças ao clube celeste foi 127 jogos e 18 gols.

Em 2002, Cruzeiro conquista Copa Sul-Minas em Sorin estava dizendo adeus

No ano seguinte à saída de Sorin, Cruzeiro estava procurando por Walter Montillo na Universidad de Chile. O argentino venera 10 e era um “condutor” de uma equipe que seria vice-campeão brasileiro neste ano, a dois pontos do Fluminense. Em 2011 foi pensado sobre o ofício da equipe, que foi chamada de muitas das “Barcelona das Américas”. Também ajudou o Cruzeiro a escapar da delegação nacional, apesar de estar fora de 6 a-1 em comparação com o Atlético-MG por suspensão. Por fim, foi acertado com o Santos no final de 2012.

Shooter Espanhol

Muitos fãs podem não saber, mas em muitos anos Cruzeiro teve um maior pontuador estrangeiro ao jogador espanhol: Fernando Carazo. Ele tinha três passagens pelo clube, quando ainda batizou seu nome na Palestina. Jogou entre 1927 e 1931, 1936 e 1937, 1940 e 1942. Marcou 44 gols e é o terceiro maior pontuador estrangeiro, Arrascaet e Marcelo Moreno até aquele dia.

3 de 6 Fernando Carazo (terceiro da esq. Direita), Cruzeiro-Foto: Reprodução/ Cruzeiro

Fernando Carazo (terceiro da esq. Para a verdade), Cruzeiro-Foto: Reprodução/ Cruzeiro

Aliens Básicos em Triplo

Quando o Crueirense e o amante do futebol, em geral, se lembram da equipe de 2003, uma das mais mágicas da história do clube, que chega a cabeça imediatamente é Alex. Camis 10, condutor e skipper. Mas os outros jogadores também tiveram um ano mágico, para serem dois estranhos: Maldonado e Aristizábal.

O chileno Carlos Maldonado foi detectado nas categorias de Colo-Colo básico. Ele veio para São Paulo em 2000 e ficou lá até o ano de 2003, quando o Cruzeiro foi contratado. Ela se encaixa como uma luva em Vanderlei a equipe de Luxemburgo e foi fundamental para dar apoio à defesa, enquanto Alex orcherou ataque. Ela ficou com a Toca até o ano de 2005, quando veio para o Santos.

4 de 6 Aristizábal ampliado-Foto: Reprodutível /CBF

Aristiwrap Ampliado-Foto: Reprodutível /CBF

E o ataque que Alex conseguiu, teve Aristizábal como protagonista. A Colômbia iniciou a carreira no Atlético Nacional, defendeu São Paulo, Santos e Vitória, vindo para o Cruzeiro mesmo em 2003. O artilheiro dos belos gols, disputou 51 jogos da temporada e marcou 28 gols. Ele foi o vice-artilheiro do time no Brasileiro, com 21 gols, dois curtas Alex.

shooters de uruguai

Jogadores que nasceram no Uruguai estão em segundo lugar nas classificações de estrangeiros que representaram a maior parte dos dres Cruzeiro. Mas, entre esses, é possível destacar dois: Carlos Revesia atacante e campo médio Giorgian De Arrascaeta.

5 de 6 Revets, ex-atacante Cruzeiro-Foto: Distribução/TV Globo Minas

Revelts, ex-atacante ao Cruzeiro-Foto: Distribução/TV Globo Minas

Revets do Cruzeiro em 1977, aos 22 anos, vindo do Nacional-URU. No mesmo ano, já entrou nas gralhas para animar a torcida, justamente nas finais do Campeonato Mineiro. O Atlético venceu o primeiro jogo, e a Raposa terá que superar o adversário no segundo para torná-lo a direita para o terceiro jogo. E foi uruguajský, que deu a vitória à Celeste Team. Triunfo marcou três gols por 3 e -2. No terceiro jogo, Reveřia marcou novamente, garantindo desenhos para 1 e 1. Na hora extra, Cruzeiro ganhou o título.

Depois de quase 40 anos, o novo urugue chegou ao clube para ser bem sucedido. O Dragcaeta chegará ao Cruzeiro em 2015 depois de se destacar com a camisa do zagueiro. Foi uma perda de peso, depois que essa diretoria vendeu muito a equipe que conquistou a bicolonia brasileira em anos anteriores. O começo foi complicado. Dragcaeta viveu em ascendes e quedas. Mas em 2017 e 2018, primeira vez pela primeira vez e foi decisivo na final da Copa do Brasil de dois anos, marcando gols contra o Flamengo e o Corinthians.

Arrascaeta fez um alvo de título contra o Corinthians

Conhecido mesmo por marcar gols bonitos e deixar a marca nos clássicos do Atlético e do América, uruguajsko é um estrangeiro que tem mais gols marcados para o Cruzeiro (50), empatado com Marcelo Moreno, e o que ainda entrou em campo do celestial clube, com 188 partidas empatado com Ariel Cabral. A venda do Flamengo foi a maior da história do Cruzeiro.

6 de 6

Aceitar missão-Quero ser Partner 5 Stars of the Cabuloso Cruzewill