Nico Hulkenberg e o chefe da Renault, Cyril Abiteboul no GP da China de 2019 — Foto: Lars Baron/Getty Images
Nico Hulkenberg e o chefe da Renault, Cyril Abiteboul no GP da China de 2019 — Foto: Lars Baron/Getty Images

Na véspera do gp da Bélgica, a Renault anunciou que vai substituir Nico Hulkenberg, por Esteban Ocon da temporada de 2020, a “Fórmula 1”. Agora, como afirma o tetracampeão da categoria, bem como o diretor da Renault, Alain Prost, o alemão foi demitido por ser muito pessimista.

– Nós já vamos ter uma vida bastante dura, a Renault na temporada que vem, então é importante ter um piloto motivado para a próxima temporada. Nós não queremos o piloto pessimista em nosso tempo, e é por isso que nós escolhemos Ocon, que ele está muito motivado, depois de um ano fora da categoria. Nick certo, em alguns lugares, mas é muito negativo. No entanto, devemos olhar para a frente e, sendo a temporada que vem o mais complicado, não podemos ser piloto negativo, – diz o sr. Simples.

Simples também disse que a equipe francesa já de olho no desenvolvimento do carro de 2021, temporada, que será uma revolução na categoria. Por isso, o diretor reconhece que no próximo ano será “medíocre para ruim” para a Renault.

– Eu, honestamente, nós vamos focar em 2021. Como resultado, a temporada que vem, vai ser medíocre ou mesmo ruim para nós. Devido as novas regras em 2021, não tem sentido para nós, para desenvolver a muito carro até o ano de 2020. Vamos fazer algumas alterações e torceremos para que possamos disputar a temporada em alto nível”, diz ele.

Hulkenberg chegou a Renault no ano de 2017, para substituir Kevin Magnussen, que na época foi contratado para Haas. Alemão constantemente lembrado por um recorde nada agradável, o piloto com mais excluído na categoria conquistou o pódio. No gp da Alemanha, o Hulk veio o segundo, mas acabou batendo sozinho, e, abandonando a prova. 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui